[Skip to Content]

As joias da coroa

As joias da coroa dinamarquesas, que são as insignias da/o monarca, consistem na coroa, o cetro (distinção de mando), o globo (a Terra), a espada do Estado e a âmbula. A isto deve se acrescentar os colares da Ordem do Elefante e de Dannebrog, que a/o monarca veste em ocasiões especiais

Christian 4. Crown 
A Coroa de Christian IV, de ouro, esmalte, diamantes e pérolas, crida em 1595-1596 por Dirich Fyring, em Odense.


A mais antiga das joias da coroa é a espada de Estado de Christian III, de 1551. Desde aproximadamente 1680, as joias da coroa são guardadas no Palácio de Rosenborg.

Originalmente, os objetos reais eram utilizados na coroação dos monarcas eleitos, sendo que o clero e a nobreza colocavam a coroa na cabeça do rei eleito para simbolizar que estavam lhe conferindo autoridade real em nome de toda a nação. Em consequência da introdução do absolutismo em 1660-1661, a coroação foi substituída por uma  ceremônia de unção demonstrando que o monarca não era mais eleito pelo povo, mas o ungido do Senhor.

Para a unção de Christian V, em 1671, foi feita uma nova coroa de arco fechado para substituir a coroa em anel aberto dos monarcas eleitos. Para simbolizar o seu poder absoluto, os monarcas colocavam a coroa em suas próprias cabeças e eram ungidos pela igreja com óleo bento da âmbula.

Quando a monarquia constitucional foi introduzida em 1849, cessou-se de fazer o ungimento. Em lugar disso, o novo monarca era proclamado pelo Primeiro-Ministro do país do balcão do Palácio de Christiansborg.

Christian 5 crown
A Coroa de Christian V, criada em 1670-1671 por Paul Kurtz em Copenhague, segundo um modelo francês.

 

Salvedåse
A âmbola de Frederik III usada na coroação em 1648 e no ungimento dos monarcas absolutos. A ãmbola tem 4,9 cm de altura.