[Skip to Content]

A principal residência real

Desde o século XV, o Castelo de Copenhague tem gradativamente se tornado a principal residência real. Por volta de 1730, foi substituído por Christiansborg. Depois de esse palácio queimar em 1794, o rei mudou-se para Amalienborg, que ainda é a principal residência. No entanto, a ala real do castelo reconstruído de Christiansborg ainda contém as dependências do Estado, que são utilizadas, p.ex., para banquetes oficiais, festas reais, os cumprimentos anuais de Ano Novo e as audiências públicas da Rainha

Amalienborg 

O complexo de Amalienborg era originalmente constituído por quatro palácios da nobreza, externamente idênticos, colocados simetricamente em volta de uma praça octagonal com a estátua equestre de Frederik V, pelo escultor francês J.F.J. Saly, no centro. O grande complexo foi construído no centro de Frederiksstaden, o novo bairro de classe alta de Copenhague, estabelecido em 1748 como parte do tributo à Casa de Oldenburgo por ocasião do 300º jubileu no trono dinamarquês. Desde então, os quatro palácios foram se revezando como residências do monarca reinante.

Hoje, um deles (o Palácio de Moltke ou de Christian VII) está equipado como um palácio de visitas e é principalmente utilizado para propósitos cerimoniais. Os outros são as residências da Rainha e de seu marido (o Palácio de Schack ou de Christian IX) e do Príncipe Herdeiro e de sua esposa (Palácio de Levetzau ou de Christian VIII). Assim que a reforma estiver concluída, o Príncipe Herdeiro e a Princesa Herdeira mudarão para o Palácio de Brockdorff (Palácio de Frederik VIII), que antes era a residência de Frederik IX e da Rainha Ingrid.

Juntamente com o Palácio Amarelo, localizado imediatamente ao lado do complexo de Amalienborg, os palácios também desempenham as várias funções da corte.