[Skip to Content]

Música dinamarquesa: Amulheres tomam o poder

As artistas femininas dominam atualmente a cena musical internacional. Pela primeira vez na história do pop, elas têm mais sucesso que seus colegas masculinos.
Aqui na Dinamarca está a acontecer o mesmo fenômeno com o aparecimento de um punhado de compositoras intérpretes femininas de talento que neste momento controlam as charts dinamarquesas dos singles e dos álbuns, começando igualmente a ter sucesso no estrangeiro.

A seguir são mencionadas cinco artistas dinamarquesas que atualmente se encontram no topo do pop.

AGNES OBEL (nasceu a 28 de outubro de 1980) é autora, compositora e intérprete de canções, e publicou seu primeiro álbum “Philharmonics” em setembro de 2010. Recebeu elogios brilhantes tanto dos críticos dinamarqueses como dos críticos internacionais: o álbum foi descrito como sendo um álbum de música folk sombria e melancólica. “Philharmonics” conseguiu atingir o primeiro lugar das vendas tanto na Dinamarca e como na Bélgica e tem feito parte dos dez primeiros na lista dos top-ten em França e nos Países Baixos. O seu primeiro single “Riverside” foi recentemente premiado com o prêmio da Melhor Canção do Ano na Dinamarca em 2011.



MEDINA (nome de batismo: Andrea Fuentealba Valbak nasceu a 30 de novembro de 1982) é cantora e compositora dano-chilena de pop, de dança e de R&B. Tornou-se famosa na Dinamarca em 2008 com o lançamento de “Kun for mig” (Em dinamarquês: Só para mim). O single permaneceu seis semanas no primeiro lugar, até conseguir obter o estatuto de Triplo de Platina. Desde então seis de seus singles conseguiram primeiros lugares, e ela está se tornando famosa na Alemanha, na Suíça e na Áustria.


OH LAND (nasceu a dois de maio de 1985) é uma autora, compositora, intérprete e produtora dinamarquesa. Foi descrita como a nova garota-propaganda do pop eletrônico, tendo a excentricidade musical de Björk, o estilo de diva de Grace Jones e o desembaraço de uma supermodelo escandinava. Depois de ter conquistado a Dinamarca, se lançou à conquista do mercado americano e foi apresentada internacionalmente por Sir Elton John. Em 2011 teve sua estreia na televisão dos Estados Unidos no Late Show de David Letterman cantando “Sun of a Gun”.


TINA DICKOW (nasceu a 14 de outubro de 1974) é uma das cantoras, compositoras com maior sucesso na Dinamarca. Em sua música se ouvem ecos de Tracy Chapmann, Leonard Cohen e Bob Dylan. Até agora produziu sete álbuns, o último “Welcome Back Colour” inclui 27 canções, os maiores sucessos da rádio, novas composições e regravações de antigas canções favoritas do público. Tina Dickow também experimentou um grande sucesso internacional cantando “Home” com o grupo Zero 7. A revista dos músicos profissionais dinamarqueses Gaffa já lhe concedeu três vezes o título de “Melhor Cantora do Ano” na Dinamarca.

 

FALLULAH (nasceu em 1985) é o nome artístico da jovem compositora, autora e intérprete de música pop Maria Apetri. Fallulah foi comparada às cantoras femininas britânicas, Florence & the Machine, Adele and Bat for Lashes. Seu single de estreia “I Lay My Head” foi um grande sucesso na Dinamarca, anunciando o álbum “The Black Cat Neighbourdhood”, que dominou os charts da música pop na Dinamarca em 2010, e o single “Bridges” do álbum foi o single em língua dinamarquesa que passou mais vezes na rádio. Ela fala de sua música como sendo uma mistura de indie rock, de Balkan beats com um toque de folclore.