[Skip to Content]

Estilista dinamarquês torna o mundo num lugar melhor para viver

Quando confrontados com um preço exagerado da roupa de marca, confeccionada por uma mão-de-obra mal remunerada em países em desenvolvimento, são cada vez mais numerosos os fashionistas que optam por aqueles estilistas que propõem uma alternativa que os deixa livres de ter má consciência. Sendo assim, não surpreende que o estilista dinamarquês Peter Ingerwersen com sua marca Noir e conhecido por ser inovador na sua procura de soluções a problemas, tenha colocado a fasquia alta no que respeita responsabilidade social empresarial na indústria do vestuário.

Label NoirQuando os consumidores e os estilistas decidiram tornar o mundo da moda num lugar melhor para viver, a moda orgânica era parecida com uma brincadeira da geração hippie, um estilo sem formas corporais para pessoas de idades que se aproximavam dos sessenta. Podia-se escolher entre vestuário de moda de alta gama confeccionado por alfaiatas e costureiras, ou um estilo ecológico econômico, parecido com um saco de batatas.

A marca dinamarquesa de design Noir foi uma das primeiras a combinar o estilo da moda distintivamente nacional com têxteis orgânicos produzidos por ateliers utilizando princípios de produção ética.

A marca Noir preconiza um estilo sem compromissos, onde o carimbo ecológico da produção nunca transparece, exemplificado pela rudez de uma linha de vestimenta de alta de gama chique e muito rock’n roll, em que as nuances neutras se ligam com a impertinência das palhetas brilhantes metálicas e um corte afiado, enquanto que a linha Noir Black se dirige a um público mais jovem com menos meio econômicos, para que toda e qualquer pessoa se possa vestir ecologicamente. Mesmo sendo o estilo da marca Noir mais vigoroso, a nota clássica e pura permanece, no entanto, palpável. Afinal Peter Ingwersen, fundador e designer-chefe da marca, tem sempre os olhos fixados em todas as fases do processo, para se assegurar que seu credo seja respeitado.

Ao mesmo tempo em que passava pelas dificuldades que o lançamento comercial duma marca de moda socialmente responsável impunha, Peter Ingwersen conseguiu criar Illuminat II, que é uma marca de algodão destinada a uma larga gama de marcas ecológicas. Cultivado no Uganda e tecido na Turquia, respeitando estritamente os princípios da iniciativa “Global Impact” das Nações Unidas, este algodão de luxo comercializado segundo os princípios do comércio justo permite uma aproximação da moda de alta gama, sem pesar na consciência social do consumidor.

Pode-se dizer seguramente que Peter Ingwersen com sua marca Noir alargou os limites do que era considerado possível na moda ética há só uma década, e não surpreende que uma fonte de ideias como esta tenha ultrapassado as fronteiras da moda da Dinamarca.

Peter Ingwersen in Uganda