[Skip to Content]

Niels Bohr

“Sua teoria é louca, mas não é louca o suficiente para ser verdadeira.”

Niels BohrA citação acima pode soar como as palavras de um louco, mas de fato foi feita por um dos dois físicos mais famosos de todos os tempos.

O físico dinamarquês Niels Bohr (nascido em 1885), juntamente com Albert Einstein, transformou fundamentalmente a compreensão do mundo. Einstein estava principalmente interessado no universo em larga escala, enquanto a contribuição de Bohr para a ciência se limita à mecânica da menor de todas as coisas, isto é, o átomo. Na área da mecânica quântica, Bohr revolucionou a nossa compreensão da estrutura do átomo, sendo galardoado por esse fato com o Prêmio Nobel de Física, em 1922.


Embora de aplicação prática em muitas modalidades (p.ex., os computadores modernos dependem fortemente da teoria da mecânica quântica), Bohr entendia que a área em si era extremamente abstrata e virtualmente incompreensível para o homem comum. Essa é a razão de ter observado, em tom de piada, para um estudante que a sua teoria era louca, mas não louca o suficiente para ser verdadeira.


Medo da corrida armamentista nuclear

Sendo judáico, Bohr foi forçado a fugir da Dinamarca ocupada em 1943. Ele foi para os EUA e se envolveu no Projeto Manhattan, o programa americano para o desenvolvimento da bomba atômica. Embora o projeto dependesse muito da pesquisa anterior de Bohr, ele participou principalmente como um consultor experiente, muitas vezes expressando a sua preocupação sobre as implicações dessa arma e a possibilidade da corrida armamentista nuclear.

Finda a guerra, Bohr retornou a Copenhague onde viveu até a sua morte, em 1962. Niels Bohr está enterrado no cemitério ‘Assistens’ em Nørrebro, Copenhague.