[Skip to Content]

Espaço tanto para a vida em família como para a carreira

Para a família Binning da Austrália, não há dúvidas de que as longas férias e a oportunidade para ambos os pais de prosseguirem as suas carreiras são vantagens indiscutíveis de viver na Dinamarca – graças às estruturas de acolhimento de crianças da Dinamarca e o estilo de gestão compatível com a família.

Por Annemette Schultz Jørgensen

”Vir à Dinamarca realmente impulsionou a minha carreira de médico. Aqui, você precisa apenas trabalhar 37 horas por semana, o que facilita, e muito, combinar a carreira de médico com uma vida em família satisfatória. Na Austrália, eu tinha que trabalhar o dobro de horas como médica a tempo integral, e isto não é possível quando você tem filhos pequenos,” diz Susan Binning, 42 anos. Ela faz parte da família australiana de quatro membros, que também compreende o marido, Philip Binning, 43 anos, e os seus filhos, Charlotte, 10 anos, e Alexander, 6 anos.

Deixaram Newcastle, na Austrália, em 2004, quando os filhos tinham 4 anos e 1 ano, respectivamente, para realizar o sonho de viver e trabalhar em alguma outra parte do mundo por algum tempo. A escolha caiu na Dinamarca, onde  Phillip Binning tinha a proposta de um cargo ideal como docente em pesquisa em lençois freáticos na Universidade Técnica da Dinamarca, ao norte de Copenhague. Quando a família chegou à Dinamarca, não tinha certeza quanto tempo ia ficar aqui, mas seis anos mais tarde não há sinal de estarem indo embora. E há várias razões para isso. Tanto  Philip e Susan Binning estão bem arraigados em suas carreiras, os filhos estão se dando excepcionalmente bem em sua escola dinamarquesa, foram estabelecidas redes de contactos sociais, e todos os quatro agora falam fluentemente o dinamarquês.

 

Space for both family life and career
Foto: Annemette Schultz Jørgensen

Uma cultura de trabalho saudável

”Antes de virmos a Copenhague, eu nunca tirava todas as quatro semanas de férias às quais eu tinha direito na Austrália, simplesmente porque você trabalha mais lá. Na Dinamarca, ambos temos seis semanas de férias pagas, e se espera que você as tire. É fantastico para a vida em família estarmos juntos durante tantas semanas no ano,” diz Philip Binning, que no início tinha que se acostumar a tirar dias de folga, porque receava que tivesse um impacto negativo em sua carreira. Hoje, ele aprendeu que priorizar a vida em família é um elemento central da cultura do trabalho dinamarquesa, e algo que as chefias dinamarquesas de fato encorajam.
 
”Os empregadores dinamarqueses priorizam muito a vida em família. Meu chefe frequentemente deixa claro em nossas reuniões que tenho que lembrar de tirar um tempo livre. Isso é algo que eu nunca tinha experimentado em nenhum lugar do mundo. Ajuda a criar uma cultura do trabalho saudável, abrindo espaço para uma vida fora do trabalho,” ele diz, e a sua esposa abana a cabeça, concordando. Susan Binning também acha que uma das coisas que fez uma grande diferença para ela, como mãe de dois filhos pequenos, é a estrutura de cuidados da criança na Dinamarca. E não apenas se oferece cuidados a tempo inteiro, como também se espera que a oferta seja aceite.

Mais tempo para a vida em família

”Na Dinamarca, todos entregam os seus filhos em uma creche cinco dias por semana. Faz uma diferença, especialmente para as mulheres,  porque nos permite ter uma carreira ativa ao mesmo tempo em que temos filhos pequenos. Na Austrália, você se sente uma mãe ruim se os seus filhos estiverem aos cuidados de outros a semana inteira. Mas é o que se espera aqui. E embora talvez eu tivesse desejado mais tempo com meus filhos quando eram pequenos, agora estou realmente feliz por ter minha carreira progredindo,” diz Susan Binning, que acrescenta que não se deve conceber as instituições de cuidados infantis da Dinamarca como uma estrutura de 24 horas por dia. Contrariamente à Austrália, onde as estruturas de cuidados infantis só fecham entre as 6 e 7 da tarde, as instituições infantis na Dinamarca fecham às 5 da tarde, o qual significa que a pessoa também tem uma vida junto com a família durante as tardes.

”Aqui, as pessoas saem do trabalho de tarde para buscar as crianças, e isto significa que você tem mais tempo junto com a família. Realmente gosto disso,” ela diz, destacando os cuidados após o período escolar como algo especial. Na Austrália, as aulas terminam às 3h30 da tarde, quando a maioria das crianças vão para casa. Por isso, muitos pais têm que organizar que os avós ou babás busquem as crianças, porque não podem sair cedo do trabalho.

”Na Dinamarca, o dia escolar é mais curto, mas por outro lado há cuidados das crianças depois das aulas, durante a tarde. Isso proporciona muito mais tranquilidade em nossa família, e isso é muito bom,” ela diz, sendo complementada pelo marido que diz que quando a família chegou à Dinamarca, ele ficou surpreso por outra diferença no sistema escolar. Nomeadamente, que as crianças dinamarquesas começam na escola com mais anos e também têm um dia escolar mais curto.

A competitividade dinamarquesa

”No início, eu realmente era bastante cético, mas depois entendi que, na Dinamarca, a primeira prioridade é formar as competências sociais das crianças, de modo que fiquem mais maduras e prontas para aprender quando começam na escola. A mesma focalização social permeia o sistema educacional, o que vejo claramente já que lido com estudantes de doutorado no meu trabalho. São muito mais independentes e criativos do que eu já vi em outros lugares. Acredito que seja exatamente este foco social que torna a Dinamarca realmente competitiva,” diz Philip Binning.

Porém, tanto ele como a Susan concordam que a diferença entre a vida na Dinamarca e a vida na Austrália não é uma questão a preto e branco. E enquanto a vida na Dinamarca pode ser preferível em muitos modos, como uma família com crianças em crescimento, há sempre alguma coisa de seu país que você sente falta – por exemplo, as convenções sociais mais abertas e descontraídas com vizinhos e amigos da Austrália. E, às vezes, você sente saudades do clima em Newcastle, que é vários graus mais quente do que na Dinamarca. Por outro lado, também concordam que é difícil ficar insatisfeito com a vida na capital dinamarquesa, quando chega o mês de dezembro e o rádio toca a música de Natal ´Dreaming of a White Christmas´ enquanto os flocos de neve caem como uma manta suave cobrindo a paisagem dinamarquesa.